A governadora Suely Campos participou, na manha deste último sábado, dia 24, acompanhada de Neudo Campos, da abertura oficial da Colheita de Arroz Irrigado, safra 2014/2015. O evento ocorreu na fazenda São Lourenço, no município do Bonfim, a 125 quilômetros da Capital Boa Vista, de propriedade do arrozeiro Ivo Barili. O arroz é a terceira maior cultura cerealífera do mundo, ultrapassada pelas de milho e trigo.
“É um momento de muita emoção participar da abertura da colheita de arroz e saber que é uma cultura viável e que já se consolidou e que o nosso governo tem a convicção, a determinação de estar em parceria com os produtores”, disse a governadora, imbuída em solucionar todos os entraves para que a classe possa seguir produzindo.
Suely destacou a geração de empregos com o plantio de arroz. “A lavoura de arroz gera mais de 600 empregos diretos e indiretos. Ao logo desses anos os produtores têm enfrentado problemas com estradas, pontes, a falta de energia confiável, o Zoneamento Ecológico e Econômico que precisamos dar celeridade para aprovar e consolidar para podermos avançar na produção”, observou.
A governadora garantiu trabalhar em parceria com a classe produtora resolvendo os problemas pontuais para que a classe possa avançar. “Nós precisamos que a nossa produção avance em todos os sentidos e nós estaremos ao lado do produtor. Seja o pequeno, o médio ou o grande produtor”, afirmou.
O vice-governador Paulo César Quartiero destacou as dificuldades do setor, mas se mostrou entusiasmado sobre a abertura da colheita de arroz no estado. “Eu faço parte desse meio. Fico entusiasmado com a perseverança, com a eficiência do nosso produtor, que mesmo com as dificuldades, como a redução da área plantada, eles estão compensando com a incorporação de novas tecnologias e estão conseguindo produzir mais por hectare, maior produtividade, melhor qualidade. Então, isso prova a competência do produtor”, comentou, ressaltando que o evento serve de vitrine do “que nós sonhamos para Roraima. Um estado produtivo que gere riqueza para abastecer nosso povo”.
Sobre a gestão da governadora Suely, Quartiero disse que acredita na realização de um bom trabalho. “A governadora tem a oportunidade como ninguém para resolver os problemas do setor”, que segundo ele, se resolve com disposição, coragem e pouco dinheiro.
O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Hipérion Oliveira, disse que a importância do evento vem do próprio setor. “O arroz é um dos produtos mais consumidos, não só no estado, mas é o segundo do Amazonas e o segundo também na Venezuela. Precisamos traçar uma política de estado para fortalecer não só o segmento do arroz, mas todos os setores”, declarou, destacando a necessidade de melhorar as políticas fiscais para poder dar competitividade ao setor.
O engenheiro-agrônomo, Dirceu Gassen, que veio a Roraima para ministrar palestra durante a abertura do evento, no dia 23, pontuou aspectos positivos para o plantio de arroz. “O arroz em Roraima tem algumas características diferenciadas: primeiro, a radiação solar fantástica, segundo, quantidade de água e terceiro, o solo extraordinário do ponto de vista de superfície plana e potencial para arroz”.
O presidente da Associação de Arrozeiros de Roraima (AARR), Genor Faccio, disse estar animado sobre a safra de 2014/2105. Nessa safra foram plantados 12 mil hectares de arroz irrigado que vão gerar em torno de 84 a 85 mil toneladas de arroz em cacho. “Esse arroz depois de beneficiado vai alimentar 1.300 mil pessoas durante um ano. Como temos menos de 500 mil habitantes, isso quer dizer que, 70% do arroz vai para fora do estado. Nosso arroz além de abastecer o estado, alimenta os consumidores do Amazonas, parte da Colômbia, Peru e vai também para Santarém ”, comentou.
O diretor-presidente da Agrosol, revendedora da New Holland, Luiz Valdemar Albrecht, disse que a empresa é parceira antiga dos produtores de arroz irrigado, especialmente porque ela tem equipamentos e os mais adequados, segundo ele, para essas práticas agrícolas, tanto para a semeadura quanto para a colheita. “Temos uma parceria forte aqui no estado no sentido de fazer crescer o agronegócio”, afirmou.
O anfitrião da festa, o produtor Ivo Barili, do arroz Tio Ivo, avaliou o evento, que contou com a presença de secretários, deputados, prefeitos, produtores e trabalhadores, como um sucesso. “É importante a presença do consumidor aqui para ver como é produzido, ver como é feita a colheita. Muitos pensam que o arroz sai da prateleira do supermercado e vindo aqui vão entender como é esse processo”, comentou.
REIVINDICAÇÕES - Durante o evento, o presidente da Associação de Arrozeiros, Genor Facci entregou à governadora Suely, uma pauta de reivindicações com várias demandas, dentre as quais, resolução de insumos como calcário, melhoria de estradas e pontes, o Zoneamento Ecológico e Econômico, regularização fundiária, aparelhamento da Aderr (Agência de Defesa Agropecuária de Roraima), instalação de laboratórios de controle de pragas e para classificação do arroz que atualmente é feita no Estado do Ceará, o que encarece o preço final do produto, fortalecimento da Campanha Contra a Febre Aftosa, e o retorno da Lei 215. A governadora Suely se comprometeu dar celeridade às demandas da classe.
Lei 215 - Criada em 11 de setembro de 1998, pelo então governador do Estado de Roraima, Neudo Campos, dispõe sobre o incentivo fiscal para os empreendimentos agropecuários participantes do Projeto Integrado de Exploração Agropecuária e Agro-industrial do Estado de Roraima a ser executado pela frente de desenvolvimento rural, ficam isentos dos tributos de competência deste Estado, até o exercício Financeiro de 2018.

Fonte: agrolink