Nos últimos dias, a comercialização do arroz em casca no Rio Grande do Sul tem sido bastante prejudicada pela paralisação dos caminhoneiros, impedindo até mesmo o carregamento dentro do estado, bem como o envio do arroz beneficiado aos grandes centros consumidores. Além disso, segundo colaboradores do Cepea, houve a diminuição dos trabalhos de colheita devido à falta de combustível.

Ainda assim, os preços do casca mantiveram o ritmo de queda iniciado na primeira semana de fevereiro devido à entrada de alguns poucos lotes da nova safra no mercado. Entre 24 de fevereiro e 03 de março, o Indicador ESALQ/Bolsa Brasileira de Mercadorias-BM&FBovespa (Rio Grande do Sul, 58% grãos inteiros) recuou 2%, passando para R$ 35,81/sc de 50 kg no dia 03.

Em fevereiro, o Indicador caiu fortes 6%. Do lado comprador, a expectativa de uma boa colheita tem pressionado os valores, juntamente com a retração de representantes de indústrias, abastecidos com compras anteriores tanto no mercado spot como nos leilões de venda do governo federal. Alguns orizicultores, por outro lado, com necessidade de “fazer caixa” para bancar gastos com a safra, elevaram as ofertas, reforçando a pressão os valores.

Fonte: Agrolink