Com a paralisação dos caminhoneiros em parte das estradas brasileiras, muitos moinhos, principalmente da região Sul, tiveram bastante dificuldade no recebimento da matéria-prima. O ritmo de moagem e, consequentemente, a comercialização do grão e derivados foram bastante reduzidos nos últimos dias, mas as cotações seguem sem grandes mudanças.

Além disso, por conta das dificuldades logísticas, os motoristas passaram a pedir fretes cada vez mais elevados e com pagamento com menor prazo, tornando inviável as negociações nessas condições. No balanço de fevereiro, os preços ao produtor (mercado de balcão) no Rio Grande do Sul tiveram ligeira queda de 0,4% e no Paraná, de 0,3%.

No disponível, o recuo foi de 2,8% em São Paulo e de 1,3% no Rio Grande do Sul. Somente no Paraná, houve alta, de 0,8%.

Fonte: Agrolink