No dia 07, o frango vivo disponibilizado para venda em Minas Gerais sofreu baixa de cinco centavos, sendo negociado por R$2,35/kg. Com isso, a exemplo do ocorrido no início do ano, o mercado mineiro voltou a operar com valor menor que o registrado no interior paulista, onde há 54 dias as negociações permanecem inalteradas e as vendas são realizadas pelo valor base de R$2,40/kg.

Esta foi a terceira queda de preço registrada entre os produtores mineiros no decorrer de 2015. Mas, com ela, o setor perde a maior parte dos 13% obtidos entre janeiro e fevereiro, pois, praticamente, retrocede-se ao valor registrado nos primeiros dias do corrente exercício, ocasião em que o produto foi negociado por R$2,30/kg.

Em outras palavras, o preço atual sequer cobre a inflação dos últimos três meses. E, menos ainda, a acumulada nos últimos 12 meses, já que o valor ora alcançado é 2,08% menor que o registrado há um ano, na mesma data.

Não só isso, porém: a esta altura é provável que o produtor mineiro já esteja produzindo onerosamente, isto é, com um custo superior ao preço recebido.

A base para essa suposição vem do levantamento de custo efetuado pela Embrapa Suínos e Aves. Em fevereiro (último levantamento disponível) a entidade detectou para Minas Gerais, em aviário convencional, um custo de produção ligeiramente superior a R$2,28/kg, ou seja, apenas sete centavos a menos que o preço de venda ora registrado em Minas Gerais.

Como, de lá para cá, os custos só têm feito aumentar (a energia elétrica, por exemplo, tem causado enormes choques no setor) é certo que o custo de fevereiro já foi superado.

Fonte: Agrolink