Pelo segundo ano consecutivo, o governo federal incluiu o cacau cultivado (amêndoa) dentro da Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM). Para a safra 2014/15, o preço mínimo do produto será de R$ 5,59 o quilo na região Nordeste e no Espírito Santo – alta de 11,8% sobre a safra passada – e de R$ 4,74/kg nas regiões Norte e Centro-Oeste, o que representa um crescimento de 1,1%.

A Portaria nº 520 incluindo essa e outras culturas na PGPM foi assinada pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller, e publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (21.05).

“A valorização do cacau está dentro das ações do governo para auxiliar especialmente os produtores nordestinos e da região Norte”, explicou o ministro.

Outras culturas

Além do cacau, foram definidos ainda os preços mínimos de outros produtos agrícolas para a próxima safra. São eles o alho, com preços entre R$ 3,01 e R$ 3,84 o quilo, dependendo da localidade (altas de 23,9% e 1%, respectivamente); o guaraná, entre R$ 12,30/kg e R$ 7,78/kg (ambos com o mesmo valor da safra atual); a carnaúba cultivada, R$ 7,91/Kg (+6,5%); a castanha de caju, R$ 1,70/kg (+9%); o casulo de seda, R$ 8,66 (+12,5%); a mamona em baga, R$ 63,47 a saca de 60 kg (+13,7%); e o sisal, R$ 1,64 (+16,3%).

Também no DOU de hoje, por meio da Portaria nº 478, foram publicados oficialmente os preços mínimos do café deste ano. O valor é de R$ 307,00 a saca de 60 kg para o arábica e de R$ 180,80 (alta de 15,48% sobre o ano passado) a saca para o conilon. Os valores foram definidos no dia 24 de abril pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).
Fonte: Agrolink