O pesquisador da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro) Serra do Nordeste, de Caxias do Sul, André Strassburger, ministrou palestra sobre "Produção orgânica de hortaliças" no início de outubro, no Instituto Federal do Rio Grande do Sul, Câmpus Ibirubá. Participaram cerca de 100 pessoas, entre agricultores e estudantes de cursos técnicos, tecnólogo e superior. O objetivo foi debater o manejo alternativo do cultivo de hortaliças com o intuito de possibilitar a produção orgânica. A palestra integrou a Semana de Integração Tecnológica da Agropecuária (I Sitec Agro).

Conforme Strassburger, a adoção de sistemas de cultivo orgânico de hortaliças tem aumentado nos últimos anos, principalmente por causa da maior demanda de mercado. "Para a obtenção de sistemas orgânicos para o cultivo de hortaliças, é fundamental que a agricultura seja praticada sob uma ótica diferente. É preciso ter ciência de que práticas conservacionistas promovem maior equilíbrio do agroecossistema, tornando as plantas cultivadas mais resistentes a ataques de insetos-pragas e doenças. É necessário que a vida do solo seja restabelecida", avalia o pesquisador.

Ele conta que a eleição de práticas agrícolas alternativas para o manejo do solo, das plantas, doenças, insetos-praga e plantas espontâneas no cultivo das hortaliças - de forma que ocorra o mínimo impacto ao ambiente - conduzem à sustentabilidade de agroecossistemas olerícolas.

"Assim, algumas práticas culturais como a adubação verde, o plantio direto de hortaliças, a rotação de cultura, o uso de material de propagação livre de contaminantes e adaptado ao agroecossistema, a adoção de cobertura morta, o uso de densidade e época adequada de plantio e o estímulo ao controle biológico são ferramentas que podem ser adotadas para a conversão de agroecossistemas e para possibilitar a produção orgânica de hortaliças", explica.


Fonte: Agrolink