As cotações do suíno vivo voltaram a reagir na maioria das praças pesquisadas pelo Cepea nos últimos dias. Apesar disso, o animal vivo ainda está desvalorizado em relação ao mesmo período de 2014. Por outro lado, as cotações dos principais insumos utilizados na atividade (milho e farelo de soja) registram alta no comparativo anual, conforme indicam dados do Cepea.

Como resultado, o poder de compra de suinocultores independentes paulistas e catarinenses frente a esses insumos está menor. Vale lembrar que produtores também enfrentam aumento de itens que participam dos custos fixos, como energia elétrica e mão de obra.


Fonte: Agrolink