Mercado de carne sem osso em queda por mais uma semana. Tem virado rotina esse comportamento. Foram raros os momentos de alta de preços em 2016, na média geral. Somente o dianteiro vem operando em alta ao longo das últimas semanas.

Ainda assim, não tem sido suficiente para permitir que o mercado acompanhe a inflação.

Em doze meses, os preços subiram 8,0%, em média, enquanto o IPCA cresceu 9,39%. Ou seja, as indústrias têm comercializado produtos com desvalorização real em relação a 2015.

No acumulado da semana passada, os cortes de traseiro tiveram desvalorização de 0,76% enquanto o dianteiro teve alta de 0,84%.

As margens (receita em relação ao preço da arroba) seguem estreitas, ao redor de 10,0%, aproxima das de 2015, no mesmo período do ano, mas com as indústrias tendo acréscimo nos custos fixos (energia elétrica e frete), que não são computados na margem calculada pela Scot Consultoria.

Um novo ponto de atenção é o câmbio. O dólar, no começo desta semana, atingiu o menor patamar desde agosto de 2015. Embora nos preços atuais ainda haja muito fôlego para manter as exportações nacionais em expansão, a depender dos acontecimentos políticos dos próximos meses, o câmbio será impactado.


Fonte: Agrolink