A colheita de café arábica segue firme, favorecida pelo clima, mas a liquidez segue lenta no Brasil. Grande parte dos produtores está se preparando e reservando os grãos para o cumprimento de contratos com entregas já programadas. O Indicador CEPEA/ESALQ do tipo 6 bebida dura para melhor, posto na capital paulista, fechou a R$ 498,35/saca de 60 kg nessa quarta-feira, 29, alta de 1,82% em relação à quarta anterior.

Para o robusta, o clima seco no Espírito Santo, além de ter reduzido a produção, facilitou o andamento da colheita, que já se aproxima dos 90%, segundo colaboradores do Cepea. A qualidade da atual temporada 2016/17, porém, foi bastante prejudicada, com alguns agentes renegociando contratos e aceitando até mesmo receber cafés de qualidade inferior. Em Rondônia, a qualidade do grão colhido também é baixa. Entre 22 e 29 de junho, o Indicador CEPEA/ESALQ do robusta tipo 6, peneira 13 acima, a retirar no Espírito Santo subiu 0,96%, a R$ 397,58/saca de 60 kg nessa quarta.


Fonte: Agrolink