Foi inaugurada na última semana, em pleno deserto australiano, a primeira fazenda do mundo a usar um sistema que combina água do mar dessalinizada e sol para produzir alimento. Iniciativa do grupo inglês Sundrop Farms, espera-se que a fazenda, que tem 19,6 hectares e está localizada na cidade de Port Augusta, cultive 17 mil toneladas de tomate por ano sem nenhum tipo de pesticida, combustíveis fósseis ou água subterrânea - método comum de irrigação na agricultura tradicional.

A água, que vem do Golfo Spencer, a cerca de 1,9 quilômetros de distância da instalação, é bombeada para uma usina de dessalinização alimentada por energia solar. Em seguida, é utilizada para irrigar 180 mil pés de tomate plantados em uma estufa forrada com um tipo de papelão embebido em água do mar, para que a temperatura para o cultivo seja ideal, contrariando o clima seco da região.

A energia solar utilizada para o cultivo é gerada por 23 mil espelhos que refletem a luz do sol para uma torre receptora de 115 metros de altura. Em um dia ensolarado, mais de 39 megawatts de energia podem ser produzidos, o suficiente para alimentar a estufa e o sistema de dessalinização.

Publicidade

Os frutos são cultivados com a técnica hidropônica, método que não utiliza o solo, substituído por uma solução nutritiva. No caso do empreendimento da Sundrop, as plantas florescem em cascas de coco. O método hidropônico aliado ao uso da água dessalinizada e da energia solar abre uma nova porta para a produção sustentável de leguminosas.

Um ponto negativo do projeto é o custo. Para montar a fazenda do zero, foram gastos nada menos que US$ 200 milhões - cerca de R$ 640 milhões na cotação atual -, isso sem levar em consideração o valor de manutenção do empreendimento.


Fonte: Agrolink